Produtos - Conheça toda nossa linha.
 
Serviços - Confiança e credibilidade.
 

Café, literalmente uma fonte de energia

Postado por: admin | Eletricidade | sexta-feira 10 junho 2011 13:15

Sabe aquela frase “café dá energia”? Hoje as pessoas a utilizam de modo figurativo, se referindo à energia que o café dá para o corpo, ao seu efeito de nos deixar mais animados e tudo mais. Porém, em breve esta frase pode se tornar, literalmente, realidade. Isso mesmo, pesquisadores estão analisando como o café pode produzir energia elétrica. A pesquisa é feita na Universidade de Brasília (UnB) e estuda o aproveitamento de resíduos agroflorestais como fonte de energia, tanto para indústrias quanto para comunidades rurais.

Os pesquisadores afirmam que a casca do café tem um potencial energético que pode, em alguns casos, torná-la substituta da lenha, sendo uma opção mais barata e ecologicamente correta para empresas que usam a madeira na geração de energia. Ailton Teixeira Vale, bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPa/MCT) que lidera os estudos, explica que a casca do café, assim como outras biomassas, tem o potencial de gerar eletricidade em termoelétricas, a partir da combustão em fornalhas, gerando energia na forma de calor, utilizado para a produção de vapor, que por sua vez é utilizado para a produção de energia elétrica e, em cogeração, outras energias como a mecânica.

O estudo mostra que utilizar o café como combustível tem muitas vantagens, principalmente em relação aos combustíveis fósseis – aqueles originados do petróleo. “Em primeiro lugar, é um combustível renovável, e os compostos liberados na sua combustão são sequestrados pelos novos plantios, fechando o ciclo do carbono, e, portanto, não contribuindo com o efeito estufa. Outra vantagem é a possibilidade de agregar valor a um resíduo que geralmente é descartado e, com isso, gerar emprego, renda e desenvolvimento social nas regiões onde a cultura do café é uma prática”, explica o pesquisador Ailton.

Fonte: www.meridiano.com.br



Nenhum Comentário »

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS dos comentários deste post TrackBack URI

Deixe um comentário