Produtos - Conheça toda nossa linha.
 
Serviços - Confiança e credibilidade.
 

Estados terão compensação para cortar icms da energia

Postado por: admin | Eletricidade | quarta-feira 25 julho 2012 15:41

Fonte: Valor Econômico

Por Claudia Safatle | De Brasília

A presidente Dilma Rousseff pretende convencer os governadores a aderir à redução da tributação do ICMS sobre energia elétrica – tal como o governo federal fará com o PIS/Cofins – mediante proposta que atenderia a uma antiga reivindicação dos Estados: diminuição do pagamento dos serviços das dívidas estaduais que foram renegociadas no fim dos anos 90 com a União. Além disso, haveria a troca do indexador aplicado nesses débitos.

Ao assinar os contratos de refinanciamento, os Estados concordaram com o limite de pagamento do serviço da dívida, que varia de 11,5% a 15% ao ano, conforme o caso. Há anos, os governadores pedem que esse comprometimento caia para a casa dos 9%. Reivindicam também a mudança do indexador da dívida do IGP-DI para o IPCA, desde que este, mais uma taxa fixa, não seja superior à Selic.

A presidente está disposta a negociar essas alterações – que independem de mudança legal – para que os governadores ajudem o governo federal a diminuir o custo da energia para grandes consumidores em cerca de 20%.

A redução da carga tributária incidente sobre a conta de energia é uma das principais medidas que o governo vai anunciar em agosto, provavelmente no dia 7, quando Dilma terá a terceira reunião deste ano com um grupo de empresários. A cobrança de impostos federais e estaduais e de uma série de encargos é responsável por cerca de 45% da fatura de energia, e essa foi uma das principais reivindicações do setor privado no primeiro encontro com a presidente, em março.

De lá para cá, a presidente começou a trabalhar em novas medidas para melhorar a competitividade da indústria e incentivar os investimentos, além de desvalorização cambial e queda de juros.

A alíquota do PIS/Cofins sobre a energia é de 8,5% e terá uma substancial redução. O que mais onera a conta de luz, porém, é a cobrança do ICMS. Dependendo do Estado, esse imposto supera 30%. Razão pela qual o governo quer o envolvimento dos governadores. Os encargos atuais, da Conta de Consumo de Combustível (CCC) à Luz para Todos, serão todos transferidos para o Tesouro Nacional.

Associado à essa iniciativa, o governo também espera obter uma redução tarifária importante – da ordem de 10% – por ocasião da prorrogação das concessões federais do setor elétrico por mais 20 a 25 anos.

Fonte: Blog Tributo e Direito

Fonte: Imposto de Renda



Simulador calcula o consumo de energia dos aparelhos domésticos

Postado por: admin | Eletricidade | quinta-feira 19 julho 2012 16:51

Infomoney

SÃO PAULO – Os consumidores agora podem contar com uma nova ferramenta para controlar os gastos de energia no lar. A AES Eletropaulo lançou, na última terça-feira (17), o simulador on-line de consumo de energia dos aparelhos domésticos.

Com o simulador além medir o consumo de energia dos aparelhos domésticos é possível projetar o valor da sua próxima conta de luz.

O aplicativo funciona coma uma espécie de casa virtual onde o usuário seleciona o cômodo, os aparelhos, a potência e o tempo de uso. A ferramenta está disponível através do link: http://consumomaisinteligente.com.br/simulador/.

Ao final da consulta o simulador apresenta o gasto mensal de cada aparelho e o valor total da fatura, incluindo os impostos, como ICMS, Cofins e Pis/Pasep no mesmo modelo da conta que o consumidor costuma receber em casa. O aplicativo também orienta o consumidor com dicas de como economizar na cota de luz.

“Nosso objetivo é fornecer uma ferramenta que ajude o cliente a controlar os gastos e economizar energia”, explica o gerente de usos finais da AES Eletropaulo, Fernando Bacellar.

Fonte: Notícias Yahoo



Chuveiro elétrico é mais econômico que aquecedores

Postado por: admin | Eletricidade | sexta-feira 13 julho 2012 16:55

Da Agência USP – Tomar banho com chuveiro elétrico é mais econômico do que em aparelhos dotados de aquecedores solares e a gás, revela pesquisa da Escola Politécnica (Poli) da USP. O estudo do Centro Internacional de Referência em Reuso de Água (Cirra) também aponta que o chuveiro elétrico apresenta consumo médio anual de água menor que os demais sistemas de aquecimento.

O chuveiro elétrico está presente no aparelho tradicional e no chuveiro híbrido solar, que é um aquecedor solar com um chuveiro elétrico na ponta. A pesquisa concluiu que um banho de oito minutos custa, em média, R$ 0,27 (entre consumo de água e energia elétrica) no chuveiro híbrido solar e R$ 0,30 no chuveiro elétrico. O mesmo banho sai por R$ 0,46 (53,3% a mais do que o chuveiro elétrico) com aquecedores solares tradicionais, R$ 0,59 (96,6% mais caro) com os aquecedores a gás e R$ 1,08 (246,6% a mais) com o boiler elétrico.

O chuveiro elétrico está presente em mais de 73% das residências brasileiras, segundo dados do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), entidade do Governo Federal. Segundo o professor Ivanildo Hespanhol, da Poli, que coordena a pesquisa, os resultados resgatam o valor do chuveiro elétrico, uma invenção brasileira com mais de 80 anos de vida, considerada a forma mais barata e acessível para população brasileira tomar banho quente, resguardando o direito do povo à saúde, dignidade e higiene.

“Mesmo antes da divulgação da pesquisa, mais da metade das pessoas que têm chuveiro elétrico em suas casas conheciam outras formas de aquecimento e não trocam o chuveiro elétrico”, acrescenta o professor.

Água – Outro dado importante da pesquisa é o consumo de água dos diversos sistemas de aquecimento de água. O estudo mostra que média anual do consumo de água no chuveiro elétrico foi de 4,2 litros por minuto (l/min). O chuveiro híbrido solar obteve uma média anual de 4,1 l/min, ou seja, 2,3% menor que o consumo do chuveiro elétrico.

O aquecedor á gás obteve uma média de 8,7 l/min, ou seja, 207% maior que o consumo do chuveiro elétrico, o aquecedor solar obteve uma média de 8,4 l/min, ou seja, 200% maior que o consumo do chuveiro elétrico e o boiler elétrico obteve uma média de 8,5 l/min, 202% maior que o consumo do chuveiro elétrico.

Esse dado é muito relevante se levarmos em consideração que água tratada é o bem mais escasso do mundo atualmente e, que segundo dados divulgados pela ONU, 1,8 bilhão de pessoas enfrentarão níveis críticos de falta de água já em 2025 e 2/3 da população mundial seriam afetados.

Os resultados fazem parte do estudo Avaliação do consumo de insumos (água, energia elétrica e gás) em chuveiro elétrico, aquecedor a gás, chuveiro híbrido solar, aquecedor solar e aquecedor de acumulação elétrico, elaborado pelo Cirra. A pesquisa teve apoio do Grupo de Chuveiros Elétricos da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Fonte: Ambiente Energia



Curitiba mostra ônibus movido a eletricidade e biodiesel

Postado por: admin | Eletricidade | segunda-feira 2 julho 2012 15:36

TIAGO ROGERO

A prefeitura de Curitiba apresentou na quinta-feira (14 de junho), durante a Rio+20, no Parque dos Atletas, o primeiro ônibus híbrido (movido a eletricidade e biodiesel) fabricado no Brasil, que começará a circular pelas ruas da capital paranaense a partir de agosto. Inicialmente, 30 veículos vão integrar a frota da cidade, seguidos por outros 30. A ideia é substituir, a longo prazo, todos os mais de 2.000 ônibus da frota por híbridos.

Cada um dos novos veículos, segundo o prefeito da cidade, Luciano Ducci (PSB), custa cerca de R$ 650 mil, ante R$ 450 mil dos convencionais. O investimento total para a compra dos 60 primeiros ônibus será de R$ 26 milhões. “É um investimento que estamos fazendo na sustentabilidade, na cultura da cidade e na educação da população mais jovem”, disse.

A passagem nos híbridos custará o mesmo preço da dos convencionais, R$ 2,60. Segundo a Volvo, fabricante do ônibus, a utilização de eletricidade combinada ao biodiesel permite economia de combustível de até 35% e reduz em 90% a emissão de gases poluentes.

Fonte: Estadão