Produtos - Conheça toda nossa linha.
 
Serviços - Confiança e credibilidade.
 

Bioenergia: etanol de 2ª geração

Postado por: admin | Eletricidade | quinta-feira 27 outubro 2011 9:22

Da Agência Ambiente Energia – A primeira planta que produzirá etanol a partir de celulose no Brasil está prevista para entrar em operação em 2013. O projeto de etanol de segunda geração está estimado em US$ 75 milhões e é resultado de uma parceria entre a brasileira GraalBio e a Chemtex, do grupo italiano Mossi & Ghisolfi (M&G).

O etanol celulósico será produzido a partir do bagaço e da palha de cana-de-açúcar. Neste sistema, enzimas são utilizadas para transformar a celulose em açúcares, que depois passam por fermentação e são convertidos em etanol.

“Caso as projeções de produção do etanol derivado do uso de biomassa se concretizem, o país poderá ser um dos primeiros no mundo a operar esse tipo de tecnologia em escala comercial,” afirmou o consultor de Emissões e Tecnologia da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Alfred Szwarc.

Segundo o consultor, esse tipo de tecnologia pode aumentar a produtividade média de uma unidade produtora de etanol convencional em 30% a 40%, em função da disponibilidade de matéria-prima.

Fonte: http://www.ambienteenergia.com.br



Dicas para economizar energia no horário de verão

Postado por: admin | Eletricidade | quinta-feira 20 outubro 2011 12:35
O horário de verão começou no domingo (16) nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e na Bahia.
Além de proporcionar dias mais longos, o horário de verão, que passou a vigorar no último domingo (16) nas regiões Sul, Sudeste e do Centro-Oeste, além da Bahia, também possibilita a economia de energia, com a redução dos gastos na conta mensal. E o segredo não está apenas em aproveitar o maior tempo de luminosidade, abrindo janelas e cortinas. O engenheiro eletricista da Assessoria de Estudos e Programas de Conservação de Energia de Furnas, Alexandre Reis, dá dicas e mostra como pequenas atitudes podem ajudar a economizar energia.
“Na hora de estudar, por exemplo, uma boa opção é o uso da iluminação dirigida (spots), que torna o ambiente mais agradável e consome menos do que a tradicional luz central”, recomenda Alexandre. “Na cozinha, geladeira e freezer não devem ficar perto de fogão nem de outras fontes de calor, pois isso faz com que eles consumam mais energia para compensar o ganho de temperatura. Além disso, mantenha-os afastados pelo menos 15 centímetros das paredes para evitar o superaquecimento”, complementa.
Um dos grandes vilões do consumo de energia é o chuveiro elétrico.  Segundo dados da Eletrobras Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia), o aparelho responde por 24% da conta de luz de uma residência. Com as temperaturas mais altas, a dica é colocar a chave na posição verão. Além disso, evite usá-lo no horário de pico, entre 18h e 21h.
Alguns eletrodomésticos, como geladeiras, freezers, aparelhos de ar-condicionado, motores, coletores solares e lâmpadas têm consumo medido por centros de pesquisas do Governo Federal. Os mais eficientes ganham o Selo Procel. Na hora da compra, o consumidor deve priorizar esses modelos.
Economia coletiva
Quando se fala em uso racional da energia, o principal item a ser considerado é a iluminação. Elevadores e bombas d’água também contribuem muito para o consumo, mas exigem investimentos altos para a introdução de sistemas mais econômicos. É no uso adequado do sistema de iluminação que se pode obter uma economia considerável.
Confira a seguir algumas dicas de economia para aplicação nos condomínios:
Lâmpadas: As lâmpadas fluorescentes consomem bem menos energia do que as incandescentes. Um exemplo é a lâmpada fluorescente de 40 Watts, que ilumina mais do que uma incandescente de 100 Watts, com consumo inferior, e ainda possui vida útil 10 vezes maior. Quando o ambiente não permitir a instalação das fluorescentes comuns, é aconselhável a troca das lâmpadas incandescentes por “fluorescentes compactas”, que são projetadas para utilização no próprio soquete comum, sem a necessidade de modificar a luminária.
Minuterias e sensores de presença: Existem dois tipos básicos de minuterias: as coletivas (para vários andares) e as individuais (para cada andar). Para maior economia, o ideal é substituir o sistema coletivo pelo individual, instalando sensores de presença. Os sensores de presença proporcionam o acendimento automático das luzes quando ocorrer movimento no ambiente, desligando-se automaticamente quando o local for desocupado. Em geral, podem ser usados em corredores, escadarias e áreas comuns do edifício. Por já se tratar de sistemas bastante econômicos, não é recomendável o uso de minuterias e sensores de presença com lâmpadas fluorescentes. O constante “acende e apaga” reduz muito a vida útil desse tipo de lâmpada.
Garagem e hall de entrada: Em alguns casos, a garagem concentra o maior gasto de energia elétrica do condomínio. Recomenda-se o uso de lâmpadas fluorescentes neste local, desligando-se parte da iluminação durante o período de menor uso e, se possível, aproveitando a iluminação natural. Se o disjuntor da garagem for único, deve-se efetuar uma redistribuição desta ligação, adaptando-se vários disjuntores para acendimento parcial das luminárias. No hall de entrada, onde as luzes ficam acesas durante toda a noite, basta desenroscar ligeiramente as lâmpadas, para se conseguir a redução da iluminação, sem prejudicar a estética do ambiente. Pintar as paredes com cores claras também reduz a necessidade de muitas lâmpadas acesas.
Fuga de energia: É um fenômeno causado por emendas na fiação, fios desencapados e aparelhos defeituosos, que pode causar desperdício de energia elétrica. É recomendável a procura de um eletricista de confiança para a verificação da existência do problema no condomínio.
Elevadores: Em edifícios de até 30 apartamentos, deve-se deixar um dos elevadores desligado permanentemente. Isto proporciona uma economia de 50% da energia consumida na oferta deste serviço. Nos prédios com mais de 30 unidades, a recomendação é o desligamento de um dos elevadores nos seguintes horários: das 10 às 18 horas e das 22 às 6 horas. Nesse caso, a economia cai para aproximadamente 25%. Existem sistemas do tipo “agrupado”, possuindo apenas uma botoeira de chamada para dois elevadores. Nesse caso, o sistema já é econômico, não sendo aconselhável o desligamento do elevador. Outra boa opção é o “sinalizador de elevador preso”, que aciona um sinal sonoro se alguém estiver retendo o elevador com a porta aberta. Deve-se estimular também a maior utilização das escadarias, para subir ou descer poucos andares. Esta prática, além de economizar energia, faz bem à saúde.
Economia doméstica
- Roupas e tênis não devem ser colocados atrás da geladeira, pois isso aumenta o consumo de energia;
- Se você desligar o chuveiro enquanto ensaboa o corpo e o cabelo, isso reduzirá o consumo de energia (no caso de chuveiro elétrico) ou de gás (quando o sistema for a gás) e também de água;
- Ao utilizar o ferro, passe de uma só vez o maior número de peças possível e deixe o aparelho na temperatura indicada pelo fabricante para cada tipo de tecido;
- Quando for jantar ou fazer um lanche, retire todos os ingredientes de uma única vez da geladeira. O abre-e-fecha faz com que o aparelho trabalhe mais para manter a temperatura e aumente o consumo de energia;
- Troque as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes, as quais gastam 60% menos energia;
- Utilizar monitor e TV do tipo LCD também ajuda bastante na economia;
- O standby também é um vilão da conta de luz, pois ele utiliza entre 15% a 40% de energia. Por isso, a dica é desligar diretamente nos aparelhos ou na tomada quando não estiverem em uso;
- Por fim, antes de comprar um equipamento, escolha eletrodomésticos de baixo consumo energético, que possuam preferencialmente o Selo Procel de Economia de Energia.

O horário de verão começou no domingo (16) nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e na Bahia.

Além de proporcionar dias mais longos, o horário de verão, que passou a vigorar no último domingo (16) nas regiões Sul, Sudeste e do Centro-Oeste, além da Bahia, também possibilita a economia de energia, com a redução dos gastos na conta mensal. E o segredo não está apenas em aproveitar o maior tempo de luminosidade, abrindo janelas e cortinas. O engenheiro eletricista da Assessoria de Estudos e Programas de Conservação de Energia de Furnas, Alexandre Reis, dá dicas e mostra como pequenas atitudes podem ajudar a economizar energia.

“Na hora de estudar, por exemplo, uma boa opção é o uso da iluminação dirigida (spots), que torna o ambiente mais agradável e consome menos do que a tradicional luz central”, recomenda Alexandre. “Na cozinha, geladeira e freezer não devem ficar perto de fogão nem de outras fontes de calor, pois isso faz com que eles consumam mais energia para compensar o ganho de temperatura. Além disso, mantenha-os afastados pelo menos 15 centímetros das paredes para evitar o superaquecimento”, complementa.

Um dos grandes vilões do consumo de energia é o chuveiro elétrico.  Segundo dados da Eletrobras Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia), o aparelho responde por 24% da conta de luz de uma residência. Com as temperaturas mais altas, a dica é colocar a chave na posição verão. Além disso, evite usá-lo no horário de pico, entre 18h e 21h.

Alguns eletrodomésticos, como geladeiras, freezers, aparelhos de ar-condicionado, motores, coletores solares e lâmpadas têm consumo medido por centros de pesquisas do Governo Federal. Os mais eficientes ganham o Selo Procel. Na hora da compra, o consumidor deve priorizar esses modelos. (mais…)

Ponte solar vai gerar quase 1 MW de energia

Postado por: admin | Eletricidade | quinta-feira 13 outubro 2011 16:13

Ponte solar

Começou a ser construída em Londres, no Reino Unido, a maior ponte solar do mundo.

A ponte vitoriana sobre o rio Tâmisa, construída em 1886, será transformada na fundação da estação Blackfriars.

Sobre ela, a empresa japonesa Sanyo está instalando 4.400 painéis solares fotovoltaicos, criando uma usina solar capaz de gerar 1,1 MW de energia.

Os painéis estão sendo instalados na forma de um teto de 6.000 metros quadrados.
 

Usina solar

Em média, os engenheiros calculam que a ponte solar deverá gerar 900.000 kWh de energia, suprindo 50% do consumo da estação e reduzindo as emissões de carbono em 511 toneladas por ano.

Outras técnicas ambientalmente corretas que estão sendo instaladas na estação incluem um sistema de coleta de água da chuva, para uso nos banheiros e na limpeza, e “tubos solares”, para captar a luz do Sol e direcioná-la para a iluminação interna. 

Fonte: www.inovacaotecnologica.com.br/noticias



Nanogerador gera eletricidade a partir da respiração

Postado por: admin | Eletricidade | sexta-feira 7 outubro 2011 14:04

Energia da respiração

Cientistas construíram um dispositivo capaz de converter o fluxo de ar da respiração humana em energia elétrica.

A intenção de Xudong Wang e seus colegas da Universidade Winsconsin-Madison, nos Estados Unidos, é criar uma fonte de energia permanente para dispositivos biomédicos.

Hoje, vários desses implantes, incluindo marca-passos e desfibriladores, usam baterias, cuja substituição exige procedimentos cirúrgicos.

A equipe do Dr. Wang trabalha na área há bastante tempo, tendo apresentado resultados significativos, incluindo nanogeradores e uma roupa capaz de gerar energia.

Energia eólica

A respiração parece ser uma fonte interessante para a geração contínua de energia. O grande problema é que seu fluxo é baixo e seu ritmo flutua bastante.

Até agora, os nanogeradores capazes de transformar um fluxo de ar em eletricidade exigiam velocidades do vento acima dos 2 metros por segundo, que é o fluxo típico de uma respiração humana.

O Dr. Wang resolveu o problema usando um filme piezoelétrico chamado PVDF (fluoreto de poliviniledeno), já usado para gerar energia pela passagem de carros e promissor para aplicação em espelhos de telescópios espaciais.

Os pesquisadores descobriram que o PVDF é eficiente sob um fluxo de ar de baixa velocidade quando ele é fabricado fino o suficiente para entrar em uma oscilação ressonante.

Enquanto a respiração humana tem uma potência teórica de 1 W (a 2 m/s), o dispositivo tem uma saída na faixa dos microWatts, com uma tensão de 0,5 V.

(mais…)