Produtos - Conheça toda nossa linha.
 
Serviços - Confiança e credibilidade.
 

NR 10 – Periculosidade no setor elétrico

Postado por: admin | NR - 10 | sexta-feira 29 abril 2011 11:04

O entendimento sobre a periculosidade no setor elétrico não deve ser buscado somente na NR-10 (que trata das normas no setor elétrico)  e nem somente na NR-16, que embora trate da periculosidade nos ambientes de trabalho, paradoxalmente não aborda o adicional no setor elétrico.

As condições para o pagamento de adicional de periculosidade no setor elétrico aparecem exclusivamente em um Decreto de 1985. Aliás, o projeto para o pagamento desse adicional é anterior à própria Lei que instituiu as Nrs (1978). Por ter evoluído de forma particular, essa legislação ficou desarticulada das Nrs e mais especificamente da NR-16.

O referido Decreto instrui a obediência a um Quadro de Atividades/Área e Risco, especificando as áreas e os respectivos riscos que caracterizariam a periculosidade no setor.

Inexplicavelmente, as diretrizes do referido Decreto não foram incorporadas à NR-16, passando a fazer parte de uma legislação complementar, um dos nós críticos para o correto entendimento das Nrs. Isto quer dizer que, da mesma forma que em relação a NR-10  e 16, muitos dispositivos de outras Nrs  estão na legislação complementar e não dentro da própria NR, o que dificulta o acesso e entendimento do usuário de Nrs sobre alguns assuntos.

Devido às discrepâncias de interpretação quanto ao adicional no setor elétrico, o assunto sofreu diversas demandas judiciais, e passou a  ser objeto de uma jurisprudência.

Para a comunidade SST, a questão aparece de forma ainda mais confusa, visto que envolvida em terminologia jurídica e de várias interpretações. Entretanto, ao se pesquisar a matéria a respeito, pode-se concluir que:

a) o adicional de periculosidade de 30% deve ser pago independentemente do ramo da empresa, desde que o empregado esteja enquadrado em uma das situações do referido Quadro

- uma Orientação Jurisprudencial de 2003, define que

“É assegurado o adicional de periculosidade apenas aos empregados que trabalham em sistema elétrico de potência em condições de risco, ou que o façam com equipamentos e instalações elétricas similares, que ofereçam risco equivalente, ainda que em unidade consumidora de energia”; (mais…)

Oito dados curiosos sobre a eletricidade

Postado por: admin | Eletricidade | sexta-feira 15 abril 2011 9:07

A eletricidade foi descoberta pelos gregos por volta de 600 a.C. Um homem chamado Tales descobriu que, ao esfregar um pedaço de âmbar com pano, este atraía pequenos objetos. (O âmbar é a seiva endurecida de certas árvores).

Em 1750, o inglês William Gilbert fez experiências semelhantes e, observando os mesmos efeitos, deu a este fenômeno o nome de eletricidade, a partir da palavra grega elektron, que quer dizer âmbar.

A luz viaja tão rápido (cerca de 300.000 quilometros por segundo!) que vemos o clarão brilhante de um relâmpago instantaneamente. Mas precisamos esperar algum tempo para ouvir o trovão.

90% da eletricidade consumida no Brasil é gerada por usinas hidrelétricas, sendo a maior parte na usina de Itaipu.

A usina de Itaipu é atualmente a maior do mundo, mas será em breve ultrapassada pela usina chinesa de Três Gargantas.

As bolas alaranjadas e vermelhas colocadas nos fios de alta tensão que cruzam as rodovias, servem para sinalização visual para os pilotos das aeronaves, quando tiverem que utilizar as estradas para pousos de emergência.

A média de consumo anual de energia elétrica de um brasileiro é de 1.760 kWh por ano, enquanto que a média mundial é de 2.200 kWh. Essa pequena diferença entre a média mundial e a brasileira é porque não foram levados em conta as particularidades de alguns países como os invernos extremamente rigorosos do Hemisfério Norte.

Os maiores consumidores de energia elétrica são em 1º lugar os Estados Unidos, seguidos pelo Japão, China, Canadá, Alemanha, França, Inglaterra, Itália e Brasil. Sendo que o Estado Norte-Americano da Califórnia consome sozinho a mesma quantidade de energia elétrica consumida no Brasil.

Fonte: http://maisquecuriosidade.blogspot.com



Energia elétrica

Postado por: admin | Eletricidade | quarta-feira 6 abril 2011 14:28

A energia elétrica pode ser definida como a capacidade de trabalho de uma corrente elétrica. Como toda Energia, a energia elétrica é a propriedade de um sistema elétrico que permite a realização de trabalho. Ela é obtida através de várias formas. O que chamamos de “eletricidade” pode ser entendido como Energia Elétrica se, no fenômeno descrito a eletricidade realiza trabalho por meio de cargas elétricas.

A energia elétrica pode ser um subproduto de outras formas de Energia, como a mecânica e a química. Através de turbinas e geradores podemos transformar estas formas de energia em eletricidade.

O Dínamo é um exemplo de gerador de eletricidade, um aparelho que transforma energia mecânica em energia elétrica. Sabemos hoje que a variação de campo magnético gera corrente elétrica. No dínamo o imã gira com a bobina ao seu redor. Este movimento gera a variação do campo magnético do imã, surgindo então, uma corrente elétrica no conjunto de espiras da bobina. Esta corrente elétrica pode ser utilizada para acender o farol da bicicleta, por exemplo, ou qualquer equipamento instalado no circuito elétrico de seu carro.

A energia elétrica também pode ser transformada por meio de equipamentos em outras formas de energia, como por exemplo, energia térmica por Efeito Joule. Que é definido como sendo o fenômeno onde um condutor é percorrido por corrente elétrica transformando energia elétrica em energia térmica (calor). Fenômeno estudado por James Prescott Joule (1818-1889).

A energia elétrica pode ser gerada através de fontes renováveis como a força das águas, dos ventos . Fontes que são subproduto da energia solar, já que os ventos são formados pelas correntes de convecção e a energia potencial acumulada nas quedas d’águas também é proveniente do Sol.

Uma das maneiras de se gerar energia elétrica acontece nas hidrelétricas, onde a energia potencial da água é utilizada para movimentar turbinas (energia mecânica) que estão ligadas a geradores. Nestes geradores a energia mecânica é transformada em energia elétrica em um processo próximo ao do dínamo. Isto obedecendo ao princípio de conservação de energia, ou seja, parte da energia utilizada para girar as turbinas é transformada em energia elétrica através da indução magnética.

Outra maneira é observada em uma termelétrica, onde a queima de combustíveis produz vapor que é utilizado para movimentar as turbinas ligadas a geradores.

As várias formas de energia podem ser transformadas em elétrica e, com estas transformações podemos utilizar esta energia de diversas formas distintas como por exemplo, a luz (lâmpada), o calor (chuveiro, aquecedores), o som (rádio).

Fonte: www.efeitojoule.com