Produtos - Conheça toda nossa linha.
 
Serviços - Confiança e credibilidade.
 

O que você precisa saber sobre CCM – Centro de Controle de Motores

Postado por: admin | Eletricidade | quinta-feira 24 fevereiro 2011 15:30

CCM – Centro de Controle de Motores – possui função de proteger motores, transformadores e banco de capacitores

Tão comum em indústrias quanto os quadros de força e luz em residências, o CCM – Centro de Controle de Motores – possui função de proteger motores, transformadores e banco de capacitores. Devido à sua ampla utilização é montado por uma centena de empresas, entretanto, algumas normas técnicas precisam ser levadas em consideração na configuração e testes desse equipamento. Mesmo em baixas tensões, o CCM pode provocar sérios acidentes a partir de curtos circuitos, elevação da temperatura e falta de coordenação.

Entre os problemas mais comuns encontrados em CCMs estão: curto circuito devido à incapacidade do barramento; elevação da temperatura devido ao envelhecimento precoce de componentes; falta de coordenação entre componentes o que pode provocar danos na instalação.

Basicamente, a gaveta de um CCM é formada por disjuntor, contator e relé térmico. Cada gaveta faz o controle e proteção de um único motor.  Esse é o básico que deve estar presente em um CCM. Entretanto, a partir daí, cada fabricante implanta um diferencial para destacar-se perante a concorrência. (mais…)

Normas técnicas brasileiras sobre instalações elétricas

Postado por: admin | NR - 10 | quarta-feira 16 fevereiro 2011 13:16

Aqui você encontrará as normas técnicas brasileiras sobre instalações elétricas e áreas afins, especialmente materiais elétricos.

Novas Normas

NBR IEC 61643-1 – Dispositivos de proteção contra surtos em baixa tensão – Parte 1: Dispositivos de proteção conectados a sistemas de distribuição de energia de baixa tensão – Requisitos de desempenho e métodos de ensaio

É aplicável aos dispositivos para proteção de surto contra efeitos diretos e indiretos de descargas atmosféricas ou outras sobretensões transitórias. Estes dispositivos são montados para serem conectados a circuitos  de 50/60 Hz c.a. ou c.c. , e equipamentos de tensão nominal eficaz (r.m.s.) até 1000V ou 1500V c.c. As características de desempenho, os métodos de ensaios e as características nominais são estabelecidos para estes dispositivos que contêm pelo menos um componente não linear destinado para limitar surtos de tensão e desviar surtos de corrente.

NBR 60335-2-76 – Aparelhos eletrodomésticos e aparelhos elétricos similares – Segurança – Parte 2-76: Requisitos específicos para eletrificadores de cerca

Trata da segurança de eletrificadores de cerca seja superior a 250V e por meio dos quais os fios em cercas de propriedades agrícolas, cercas de controle de animais selvagens e domésticos e cercas de segurança possam ser eletrificados ou monitorados.

As normas estão classificadas segundo uma lista de chamadas abaixo, (estas palavras não são as palavras chaves do catálogo da ABNT) aqui você encontrará normas sobre:

* Condutores
* Proteção – Sistemas
* Proteção – Componentes
* Apresentação
* Instalações Elétricas Baixa Tensão
* Instalações Elétricas Alta Tensão
* Iluminação
* Equipamentos
* Segurança
(mais…)

Príncipios básicos da NR-10

Postado por: admin | NR - 10 | terça-feira 8 fevereiro 2011 13:23

Resumindo a Norma

Os principais pontos que devem ser observados

Após a alteração da NR-10 publicada no Diário Oficial da União em 2004. A nova publicação altera o texto original de 1978. O Ministério do Trabalho e Emprego tem como principal objetivo diminuir o alto índice de acidentes com eletricidade no pais, garantindo a segurança e a saúde dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente nos serviços com eletricidade.

Apesar de a norma ter entrado em vigor em dezembro de 2004, alguns itens da norma só passaram a vigorar 24 meses depois. Atualmente toda a norma já esta vigorando.

É dever de todos respeitar e fazer cumprir a norma, principalmente as pessoas que decidem, planejam e compram serviços e equipamentos relacionados à eletricidade.

É preciso mudar os hábitos e costumes e formar uma nova cultura, em que a qualidade e a segurança se tornem mais importantes que simplesmente os preços.

Esta nova norma provoca surpresas e vários questionamentos para a maioria das construtoras, principalmente por conta do descaso quase absoluto que se verifica com as instalações elétricas. A falta de fiscalização especifica na maioria das obras é mais um agravante.

Temos a convicção e a certeza que, mesmo a passos lentos esta norma vai valorizar as boas empresas e os bons profissionais do setor elétrico impulsionando um grande avanço tecnológico e gerando um resultado positivo para toda a sociedade.

A seguir vamos responder alguns questionamentos que englobam os principais pontos da norma de interesse dos projetistas de instalações, construtores, incorporadores, administradores de obras e de condomínios.

1) Quais as empresas e profissionais que podem trabalhar com serviços de eletricidade?

O trabalho com instalações elétricas acima de 50 Volts (AC), com possibilidade de energização por qualquer meio ou razão, trabalhos de comissionamento, testes ou manutenção elétrica só podem ser realizados por profissionais qualificados e autorizados (técnico ou engenheiro) devidamente registrado e estar regularizado perante seu conselho de classe o CREA. É obrigatório que todos os trabalhadores (engenheiros, técnicos e eletricistas) que executam serviços com eletricidade façam o curso “Segurança em instalações e serviços com eletricidade” com duração de 40 horas.

O profissional com ocupação em “serviços com eletricidade” (eletricista pratico) só odera trabalhar com autorização e supervisão de um profissional qualificado e habilitado (itens da Norma 10.4.1/10.4.6). Os segmentos com grande risco de provocar acidentes (materiais explosivos, radioativos, remédios) já possuem regulamentações severas. A NR-10 incluiu também a eletricidade.

2) Quem é responsável pelos serviços e materiais elétricos de má qualidade?

Estão inclusos neste item todos os serviços com eletricidade, incluindo a contratação de empresas prestadoras de serviços, na área de projetos, instalações e manutenções. Podemos citar como os principais materiais os cabos elétricos, eletrodutos, quadros elétricos, transformadores e luminárias. As responsabilidades pelo não cumprimento da “NR-10” são solidarias aos contratantes e contratados envolvidos.

“O construtor, incorporador ou administrador de obras ou condomínios idôneo e responsável que negligenciar a contratação de serviços ou fornecedor de materiais elétricos acaba sempre tendo que responder civil e criminalmente, pela má qualidade do produto final, ou em caso de acidentes u quaisquer prejuízos a outrem” (item da Norma 10.13,1). Devemos ter consciência que todos os profissionais desta cadeia são responsáveis por qualquer acidente que venha a ocorrer. Assim, toda contratação neste setor deve ser bem criteriosa: desde o projeto, a compra de equipamentos até a execução final dos serviços.

3) O que exige a Norma quanto aos locais de serviço e equipamentos elétricos?

Os projetistas e arquitetos devem considerar espaço seguro o local que atenta às exigências quanto as dimensões e as influenciais externas (temperatura, umidade, inundações, poeira, substancias corrosivas, etc) e a localização correta dos quadros e dispositivos de manobras. Deve-se prever iluminação adequada e posição de trabalho segura quanto à operação e manutenção. Atenção especial para localização dos quadros para bombas de recalque e quadros para proteção das bombas de piscina, principalmente nos prédios e casas residenciais.

No caso de manutenção, o trabalhador deve ficar com os membros superiores livres bem como numa posição ergonomicamente segura. Alem dos riscos característicos da eletricidade, é preciso ficar atento aos riscos adicionais, principalmente com relação a altura, confinamento, umidade, animais peçonhentos, arvores, limpeza e com a organização do local. É expressamente proibido utilizar os locais de serviços elétricos (salas técnicas e cubículos) e invólucros de equipamentos (quadros elétricos) para armazenar ou guardar qualquer objeto (itens da Norma 10.3.3/10.3.10/10.4.2/10.4.5). (mais…)